“O Labirinto da Saudade” – Uma viagem única pela mente de um dos mais brilhantes intelectuais de sempre da língua portuguesa

Tentar “dissecar” saudade sem entrar na mente brilhante de Eduardo Lourenço é, simplesmente, impossível… Obrigatório este “O Labirinto da Saudade” de Miguel Gonçalves.

Sinopse:

Miguel Gonçalves Mendes (“José e Pilar”) adapta ao cinema uma das obras mais lúcidas da cultura portuguesa – “O Labirinto da Saudade” de Eduardo Lourenço – numa viagem única pelo interior de uma mente brilhante. Aos 94 anos, o escritor e filósofo Eduardo Lourenço projeta pelos espaços da sua memória as perguntas que até hoje nele perduram. Que traumas nos definiram enquanto povo? Quem somos? O que fizemos? Que atrocidades cometemos? Quais os caminhos que podemos seguir? Estas questões são o ponto de partida para “O Labirinto da Saudade”, um filme sobre uma “nação condenada desde a sua origem a esgotar-se em sonhos maiores do que ela própria”, mas também a celebração da vida e obra de um dos maiores autores da cultura Portuguesa. Narrado e protagonizado pelo próprio Eduardo Lourenço, o documentário percorre os corredores da sua memória e da história de Portugal.

Encontro com o escritor David Machado (21/III/2018), dinamizado pelo IES Rodríguez Moñino de Badajoz

Mais uma boa notícia que nos orgulhamos de apoiar e divulgar. O conhecido escritor português David Machado (Prémio União Europeia para a Literatura 2015) vem até Badajoz para um “encontro literário” com os alunos de língua portuguesa do IES Rodríguez Moñino. No entanto, quem tiver interesse em assistir pode entrar em contacto com a comissão organizadora. 

António-Pedro Vasconcelos na Biblioteca Pública de Badajoz (Atividade dinamizada pelo Dpto. de Português do IES Rodríguez Moñino)

A “Oficina da Língua Portuguesa” orgulha-se de divulgar a iniciativa, da Biblioteca Pública Bartolomé J. Gallardo de Badajoz junto com o IES Rodríguez Moñino, que tornou possível a presença do realizador de renome António-Pedro Vasconcelos junto de nós, tal como a projeção da sua obra cinematográfica “Os Gatos Não Têm Vertigens”. Uma verdadeira “masterclass” de cinema, literatura e história! A repetir o quanto antes e para um público mais amplo!