Revista “Devir” (Editora Licorne)

A Oficina pode, de vez em quando, estar desarrumada, porém nunca perde os cantos à casa. Sabemos muito bem a estante especial onde guardamos os cinco números da “Devir – Revista Ibero-Americana de Cultura”, essa revista de excelência dirigida por Ruy Ventura e Nuno Matos Duarte, publicada pela Editora Licorne.
Enquanto aguardamos pelo sexto número, aproveitamos para reler estas cinco edições que o antecedem.

“Lo digo para ver” – Sophia de Mello Breyner (Galaxia Gutemberg, 2019)

“Lo digo para ver” é o título de uma antologia de Sophia de Mello Breyner com poemas selecionados e traduzidos pelo saudoso Ángel Campos Pámpano. Com um belíssimo prefácio de Álvaro Valverde, eis uma oportunidade de introduzir o leitor hispano-falante no universo poético de Sophia que, se ainda estivesse entre nós, celebraria o seu centenário. Uma edição digna de nota sob a chancela de “Galaxia Gutemberb”.

“El hilo del abalorio” de Mia Couto (“Le Tour 1987”)

O jovem livreiro e editor Mario Quintana (sim, homónimo do grande, e saudoso, poeta brasileiro!) prenda o leitor em espanhol com a publicação desta tradução de 29 contos unidos por um fio. Da autoria do escritor moçambicano Mia Couto, sem dúvida um dos autores mais aclamados de língua portuguesa, galardoado com o Prémio Camões, esta compilação de contos é o regresso ao seu género de eleição, o conto, unindo desta maneira uma bela cadeia de histórias a meias entre um mundo sórdido e absurdo.

Podemos encontrar este “El hilo del abalorio” na elegante coleção “Champs-Élysés” da editorial “Le Tour 1987”, traduzido para espanhol por Ángel Manuel Gómez Espada. A não perder!

“El hilo del abalorio” – Mia Couto

Apresentação “De nómadas e guerreiros” de Elías Moro

A casa do nómada é o movimento, como a do guerreiro é a fragilidade da paz. A morada de Elías Moro é a poesía e a sua generosidade convidou o nosso colaborador, Luis Leal, a visitá-lo na próxima quinta-feira, para apresentar o seu novo livro “De nómadas y guerreros”. Será uma honra acompanhá-lo… Estão todos convidados!

Aqui vos deixamos uma tradução de um dos poemas do livro:

ORAÇÃO DOS CONDENADOS – Elías Moro

Sempre estamos perante ti,
sempre estamos sobre ti…

Protege-nos, Céu e Terra,
da morte que nos ronda.

in «De nómadas y guerreros», p.31

(Trad. Luis Leal)

De nómadas y guerreros

Sérgio Godinho em Badajoz (“Aula de Poesía Díez-Canedo”, 21/II/2017)

Inserida na programação de 2017/2017 da “Aula de Poesía Díez-Canedo”, Sérgio Godinho, fará uma leitura pública da sua antologia poética.

O evento realizar-se-á na Sala de Atos do MEIAC (“Museo de Arte Contemporáneo”) de Badajoz às 20:00. Também se entregará o caderno bilingue nº150 com uma antologia do cantautor (poeta e escritor) com traduções de Pedro L. Cuadrado, Luis Leal e Juan Ramón Santos. A apresentação estará a cargo de Luis Leal.

Todos estão convidados!